Psicodiagnóstico Clínico

A SERPCRAZ – Serviços para sua saúde e bem estar – aplica o teste de psicodiagnóstico clínico atuando nos bairros Cambuci, Higienópolis, Itaquera, Penha, Pinheiros e Santana em São Paulo, e, também nos municípios de Osasco, Guarulhos e Santo André na grande São Paulo, além de Campinas e São Vicente, atendendo diversos convênios médicos.

O psicodiagnóstico clínico é o primeiro degrau do trabalho terapêutico. Consiste em uma entrevista pessoal onde é efetuado um inventário da situação emocional do paciente a fim de esclarecer:

  1. Como estão as emoções? Quais emoções se manifestam? Como e quando se manifestam? Qual a frequência? Quais os estímulos destas emoções?
  2. Quais emoções principiam, crescem ou desaparecem?

O diagnóstico é executado com a análise detalhada, rigorosa e cuidadosa das emoções que ocorrem no indivíduo (conjunto de afetações/ocorrências psicofísicas) e que se relacionam entre si. Todo acesso emocional possui um gatilho emocional, que pode ser um fato concreto ou algo percebido pelo paciente devido a uma situação experimentada. Estes episódios são analisados, catalogados de maneira a demarcar o fenômeno psicológico do paciente, ou se não se trata de um fenômeno psicológico.

Muitas vezes o paciente apresenta sintomas como tremedeira, sudorese, tontura, sensação de desmaio, palpitação, respiração curta ou ofegante, náusea e nenhum destes, muitas vezes, são sintomas emocionais ou psicológicos. Podem ser sintomas fisiológicos causados por outras patologias como hipertireoidismo, hipotireoidismo, diabetes, hipoglicemia, labirintite, problema cardíaco, hipertensão, dentre outras.

Por isso, o diagnóstico psicológico é feito em conjunto com o clínico. O médico cuidará da parte fisiológica e o psicólogo da parte emocional.

Frequentemente o indivíduo está passando por um processo emocional intenso e demonstra concomitantemente alguma patologia fisiológica que pode até intensificar, potencializar as emoções, ou vice e versa. É comum, inclusive, o paciente estar com algum tipo de doença fisiológica e sequer se dar conta. Por isto o trabalho é efetuado conjuntamente entre psicólogos e médicos.

Tipos de Acessos emocionais

O acesso emocional reativo ocorre em situações pontuais onde qualquer indivíduo sentiria a intensidade emocional daquele conflito. Exemplos: tristeza pela morte de um ente querido, experimentação de violência ou perda de emprego. Neste caso estamos falando de um tema comum a todos e que com o tempo se dissipa. Indicam que o indivíduo está bem psicologicamente falando e pode precisar de cuidados temporários a fim de amenizar o sofrimento emocional.

Já os acessos não reativos são emoções incompatíveis com os estímulos ou com o ambiente vivido pelo paciente. A pessoa sente a emoção, mas não consegue compreender com é possível estar sentindo aquilo, já que em tese, tudo está bem com ela. Normalmente o indivíduo sente-se aprisionado a fatos passados e sentindo-se incapaz de viver o futuro de forma satisfatória. Neste caso, a pessoa pode estar atravessando algum problema psicológico e recomenda-se terapia para apoiar o desenho da personalidade e da estrutura emocional da pessoa.

Agende seu exame